Brava: Lançamento do concurso público para reabilitação da casa de Eugénio Tavares ainda esta semana – presidente IPC (c/áudio)

Nova Sintra, 20 Mar (Inforpress) – O presidente do Instituto do Património Cultural (IPC), Hamilton Fernandes, garantiu, na ilha Brava, que o lançamento do concurso público para reabilitação da casa de Eugénio Tavares será feito ainda esta semana.

No final da visita à ilha Brava, no âmbito do IV Eixo do PRRA, Hamilton Fernandes fez “um balanço positivo” da mesma, considerando-a de “profícua”.

Esta visita está enquadrada numa missão conjunta entre o IPC e o Ministério das Infraestruturas, do Ordenamento do Território e Habitação, dentro do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidade (PRRA), em que o IPC coordena o Eixo IV, que actua na reabilitação dos edifícios históricos, culturais e religiosos.

Na ilha Brava foram seleccionados dois edifícios, sendo o primeiro a casa do Eugénio Tavares, na vila de Nova Sintra, que alberga o museu, uma intervenção que segundo o presidente do IPC está orçada em cerca de seis mil contos, em que será feita a preservação do edifício, mas também será trabalhada numa perspectiva museográfica e museológica.

O outro edifício seleccionado é a casa do Eugénio Tavares, na Aguada, em que o processo está “um pouco atrasado” e o orçamento ronda os cinco mil contos.

O responsável visitou os espaços já identificados, reuniu-se com a câmara municipal no sentido de delinearem o processo do concurso e as possíveis estratégias museológicas e museográficas para a casa e para a ilha em si.

Segundo Hamilton Fernandes, a exemplo dos outros municípios que albergam no seu território centros históricos classificados como património nacional, a Nova Sintra, por ser a cidade capital e património nacional, tem de submeter sempre os projectos para avaliação, parecer técnico e vinculativo do IPC.

A vinda da missão teve também como objectivo analisar o espaço patrimonial urbano, as obras e empreendimentos em construção e analisar, sobretudo, se estão de acordo com as recomendações técnicas do IPC.

Não obstante as missões já elencadas, a vinda teve ainda como propósito prestar uma assessoria técnica solicitada pelo Ministério das Infraestruturas, do Ordenamento do Território e Habitação, no âmbito do Eixo III do PRAA, relacionado com a regeneração dos centros urbanos.

Em relação a casa de Aguada, houve sugestão da câmara municipal no sentido de o montante disponibilizado para a reabilitação da mesma ser injectado na reabilitação da escola Sena Barcelos.

Mas, de acordo com o presidente do IPC, tem de ser analisado em vários níveis, primeiramente pelo Conselho de Ministros, pois os edifícios alvos de intervenções do PRRA têm de constar no Boletim Oficial, resultado da resolução do Conselho de Ministros, que seleccionou a partir de um estudo prévio do IPC os 29 edifícios.

Ajuntou ainda que a sugestão da câmara municipal deve-se ao impacto do orçamento que poderá estar envolvido na intervenção, atendendo a distância do edifício da Aguada, e a câmara municipal já fez este encaminhamento ao ministro da cultura e a ministra das infraestruturas.

O IPC aguardará instruções “ao mais alto nível” e depois, caso for positivo, será analisada a proposta, efectuado o levantamento necessário, apresentar um projecto arquitectónico e definir qual as valências do espaço, que não será somente uma escola, mas também ver se o espaço poderia albergar uma outra actividade ligado a agenda morna.

MC/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos