Brava: Estudante agride colega com uma lâmina causando vários ferimentos no corpo (c/áudio)

Nova Sintra, 10 Nov (Inforpress) – Uma aluna da Escola Secundária Eugénio Tavares (ESET), na Brava agrediu, esta quinta-feira, um colega com uma lâmina, dentro do recinto escolar, causando um ferimento de 12 pontos.

De acordo com testemunhas, tudo teria acontecido, na manhã de quinta-feira, quando uma estudante do 10º ano dirigiu-se ao colega desferindo-o alguns golpes com uma lamina, causando à vitima do sexo masculino vários ferimentos no corpo.

Conforme a mesma fonte, os colegas desentenderam dias antes, por causa de uma foto, tendo a agressora chamado a mãe que, por sua vez, foi à escola entrar em conflito com o rapaz. No entanto, nesta quinta-feira, a aluna levou uma lâmina para a escola e ao ver o rapaz desferiu vários golpes na vítima.

Em declarações à Inforpress, o director da Escola Secundária Eugénio Tavares (ESET), David Pascoal, salientou que a agressora já foi identificada e devidamente enquadrada.

Nesta situação, conforme explicou o director, o processo interno já está em andamento e o conselho disciplinar vai actuar e punir a aluna consoante o seu acto, contudo, a polícia já está a par do assunto e a aluna vai responder criminalmente.

Defendeu que é preciso lembrar que nesta escola há mais de 10 por cento (%) da população da ilha, justificando que é “normal” que surjam conflitos atingindo até agressões entre colegas.

“É de realçar que nós somos a escola que tem menos indisciplina em Cabo Verde, entretanto, uma vez ou outra, surgem situações menos agradáveis como o que aconteceu”, sublinhou.

Segundo este responsável, a escola já tem em andamento várias actividades para consciencializar os alunos, nomeadamente palestras com o Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA), Polícia Nacional(PN), Ministério Público(MP), pais e encarregado de educação, entre outros.

“Temos de mostrar aos nossos meninos que a escola é um lugar de socialização e aprendizado, mas, no entanto, é preciso cumprir com as regras para que possam conviver uns com os outros na tranquilidade e sossego”, frisou, acrescentando ainda que a escola tem um projecto denominado Escola Família, que serve para chamar os pais a conhecerem mais de perto o ambiente que os seus filhos andam diariamente.

David Pascoal apelou à união da sociedade civil no sentido de juntos lutarem para a diminuição dos casos de violência nas escolas, relembrando que todos educam, mesmo que em níveis diferentes.

DM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos