Brava: Assol Garcia diz-se “grata” pelas nomeações que o seu trabalho teve nos últimos dias

Nova Sintra, 12 Dez (Inforpress) – A artista Assol Garcia disse hoje à Inforpress que está grata por ver o seu trabalho “Assol Garcia canta Djabraba, Nós Morna, Nós Raiz” destacado sem ter que passar por competição alguma.

A cantora, que se encontra nos Estados Unidos da América, falava acerca do destaque que o projecto que protagonizou teve na semana da cultura em Portugal, pela RTP África, e por ser nomeada a melhor morna pela “Red Carpet Award USA” na semana passada.

Segundo a mesma, entre todas as nomeações, ganhar na categoria Melhor Morna, foi um momento de “explosão e de gratidão” pois diz carregar na alma e no coração o nome do país pelo que assume “a missão de cantar Cabo Verde hoje e sempre”.

“Os que conhecem o meu trabalho e aqueles que acompanham a minha carreira musical já sabem que o género musical com que mais me identifico é sem dúvida, a morna”, disse a artista, acrescentando que sempre defendeu e tem como lema e missão “cantar Cabo Verde e promover a música cabo-verdiana pelos quatro cantos do mundo”.

A artista realçou que participar no projecto “Assol Garcia canta Djabraba, Nós Morna, Nós Raiz” foi o “culminar da realização” de um projecto que há muito tempo desejava embora não estivesse na sua perspectiva somente mornas da Brava, mas o projecto “superou as expectativas”.

Este projecto levou-a a reconhecer que na ilha Brava há “belíssimas” mornas, grandes poetas e compositores de renome nacional e internacional, citando como grande exemplo o poeta maior, Eugénio Tavares.

Em relação à classificação da Morna como Património Cultural Imaterial da Humanidade, Assol Garcia considerou ser “um momento histórico para Cabo Verde e para a música cabo-verdiana e, com certeza, a oportunidade de o mundo conhecer mais ainda a nossa cultura e o nosso país”.

MC/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos