Boa Vista: PR disse estar convencido de que bons tempos virão para o bairro da Boa Esperança

Sal Rei, 04 Set (Inforpress) – O Presidente da República manifestou-se “impressionado” com os trabalhos bem avançados do novo assentamento do bairro Boa Esperança e pediu para as pessoas colaborarem para que o bairro seja merecedor do nome.

É desta forma que o Presidente avalia os trabalhos já realizados em Boa Esperança e do novo assentamento mais a norte do bairro, comparando com a situação verificada há três anos, aquando de uma visita de Jorge Carlos Fonseca à ilha da Boa Vista.

“Estou convencido de que se avizinham bons tempos para o bairro, e estou impressionado com os trabalhos bem avançados do novo assentamento. Mas também não se pode investir grandemente em qualificar ruas, em saneamento, energia, e as pessoas continuarem a atirar lixo ao chão, deixar restos de escombros de obras nas ruas, não se preocupar com a limpeza das próprias ruas”, alertou o Chefe de Estado, pedindo a “colaboração dos cidadãos com autarquia e o Governo, para que o bairro seja verdadeiramente merecedor do seu nome”.

Entretanto, segundo disse constatar, e conforme também o presidente da Câmara Municipal de Boa Vista, José Luís dos Santos, “apesar dos grandes avanços de requalificação, ainda há muito trabalho por fazer”, acreditando que “com motivação, determinação, e empenho, e ainda com boa articulação do poder local a autarquia, atingir-se-á a requalificação a 100%, para ajudar realojar as pessoas que vivem nas barracas”.

Quanto à visita à Sociedade de Turístico de Desenvolvimento de Boa Vista e Maio (SDTBM), que proporcionou encontros com o concelho de administração e outros responsáveis desta instituição, Jorge Carlos Fonseca avançou que “obteve informações minuciosas sobre a visão e as prioridades para desenvolvimento turístico da ilha, que se quer inclusivo, nomeadamente no que diz respeito ao acesso à água nos povoados mais distantes”, entre outros projectos que considera “estruturantes”.

Jorge Carlos Fonseca defendeu que “se deve encontrar soluções a curto prazo, enquanto não se efectivar soluções definitivas, evitando erros cometidos noutras partes de Cabo Verde, no sector do turismo”.

“Avançaram-me outras questões mais de fundo, que tem a ver com o tratamento fiscal com a sociedade de desenvolvimento com relação a outros tipos de empresas, e também sobre o problema das suas dividas”, informou o PR, que disse “estar agora com uma noção da natureza, das realizações, desafios, dificuldades, e das propostas desta instituição, que apresenta soluções para que o processo de desenvolvimento turístico de Boa Vista ganhe solidez, numa objectiva de uma ilha onde se prevê crescimento demográfico”.

Para o Presidente da República “tem que se pensar soluções num processo de desenvolvimento futurista”, e, sobretudo, há que “se ter em conta o impacto ambiental dos projectos desenvolvidos e dos investimentos que são feitos, numa perspectiva também de problema da coesão social”.

VD/JMV

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos