Boa Vista: Núcleo da Boa Vista da ACLCC detectou 17 casos suspeitos de câncer de próstata em 350 homens rastreados

Sal Rei, 11 Nov (Inforpress) – O Núcleo da Boa Vista da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Câncro (ACLCC) registrou 17 casos suspeitos de cancro de próstata, de um total de 350 homens rastreados durante cinco dias de consultas de urologia.

Este foi o resultado do balanço divulgado hoje, em conferência de imprensa, pelo Núcleo da Boa Vista da ACLCC que, desde terça-feira, 07, até hoje, realizou consultas grátis de urologia para despiste do cancro da próstata, actividade que se enquadra na programação Novembro Azul.

O urologista do Hospital Agostinho Neto, Benvindo Tavares, congratulou-se com o sucesso desta actividade destacando a mobilização da delegacia de saúde e do Núcleo da Boa Vista da ACLCC que, conforme disse, fizeram um trabalho intenso de sensibilização com foco na questão de rastreamento de diagnóstico precoce do cancro da próstata.

“Rastreamos 350 homens na faixa etária de 40 aos 80 anos e, deste número, se detectaram 17 casos de homens com quadro suspeito com cancro da próstata e, juntamente com a delegacia de saúde da ilha, se irá tratar do processo para se averiguar os casos de confirmação”, avançou.

O médico que é também vice-presidente da ACLCC referiu que a maioria dos homens que fizeram o rastreamento, como os possíveis casos suspeitos, estão dentro da faixa etária de menos de 65 anos, idade em que se beneficia de tratamento.

Isto, segundo enalteceu o urologista, lhes dá vontade de continuar com este tipo de actividade pelos diferentes concelhos das ilhas de Cabo Verde, pelo que reiterou a sua satisfação pelo desenrolar e pelo sucesso do programa desenvolvido pelo Núcleo da Boa Vista da ACLCC.

A presidente do Núcleo da Boa Vista da ACLCC, Raquel Lima, explicou que a meta era ultrapassar o registo dos 359 homens rastreados no ano passado, mas mesmo que este ano se tenha ficado pelo 350, considerou que o balanço é positivo.

Em relação aos casos suspeitos da doença, Raquel Lima, que é enfermeira, verificou que houve uma diminuição visto que, este ano, registaram-se 17 casos, quando no ano passado foram 25.

Na mesma linha, Jair Ramos, substituto do delegado de saúde de Boa Vista, vê com bons olhos esta iniciativa e descreveu como “excelente e bastante produtiva” a semana de trabalho realizado pela equipa médica no terreno no âmbito da prevenção.

Entretanto, segundo solicitação dos pacientes e da população que por estes dias esteve em consultas e participaram das actividades de sensibilização, o mesmo admitiu haver necessidade de haver mais actividades do género na ilha, daí que disse esperar que haja continuidade deste programa de prevenção todos os anos, sobretudo nos meses de Outubro Rosa e Novembro Azul.

VD/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos