Boa Vista: Entre aplausos, música e emoção Boa Vista homenageou Nha Vão compositor vivo mais idoso do País

Sal Rei, 29 Out (Inforpress) –  O compositor, mais idoso e vivo de Cabo Verde, António Serapião Oliveira, Nha Vão, em vésperas de completar 100 anos, foi homenageado este sábado, 28, em Sal-Rei, na Boa Vista.

Entre lagrimas, música e emoção amigos, familiares entre outras entidades prestaram tributo ao centenário.

Na cerimónia que aconteceu no Centro de Arte e Cultura iniciou com um momento musical em que a bisneta de Nha Vão, Débora Oliveira interpretou as mornas Boa Vista Nha Terra e Fusquinha, da autoria do homenageado.

António Serapião Oliveira, Nha Vão, que nasceu 30 de Outubro 1923, na ilha da Boa Vista, testemunhou a sua homenagem, em vésperas de completar meio século, perante uma plateia que aplaudiu, cantou mornas e se emocionou no tributo organizado pela Câmara Municipal da Boa Vista (CMBV).

“Sinto-me extremamente alegre e com uma espécie de saudade. Não esperava esta homenagem, mas quando fui comunicado sobre isso fiquei contente”, disse Nha Vão em declarações a comunicação social, ao mesmo tempo que desejou sorte a todos e que encontrem sempre felicidade.

Entretanto, em celebração do centenário de Nha Vão, no palco do CAC, Eutrópico Lima da Cruz, João Pereira Silva e Cesar Monteiro, numa roda de conversa, abordaram o tema: “Nha Vão – O homem e a sua obra”.

Entrópico Lima da Cruz que considerou Nha Vão merecedor do reconhecimento na homenagem em que fez uma reflexão do compositor e fez uma analise poético da letra e da melodia das composições de Nha Vão, com destaque para a emblemática morna “Fusquinha”, o samba de contra-resposta ao Djidjungo pela resposta de “Fusquinha”.

“Nha Vão não é um compositor prolífero, participa criativamente do movimento da composição tendo começado aos 16 anos. Nele coexistem a espontaneidade dos poemas e a singeleza das linhas”, sublinhou, honrando-o como “homem de cultura a quem o festival de Praia d´Diante muito deve”.

O combatente da liberdade da pátria João Pereira Silva, num testemunho de amizade, falou do percurso socioprofissional do homenageado, relembrando que foi polícia “rigoroso que metia medo nas pessoas, figura majestática que fazia cumprir o código de postura municipal”.

O mesmo destacou-o ainda como funcionário público responsável que desempenhou funções com capacidade de gestão no MDR e de controle de armazém na época em que se distribuíam alimentos.

“Nha Vão é, sobretudo, um homem conselheiro que ouve as pessoas, que dá conselhos”, afirmou João Pereira Silva enaltecendo Nha Vão como “um homem de paz que erradia paz e serenidade a sua volta”.

Por seu lado, Cesar Monteiro explicou a origem familiar e contou historias do galardoado que, aos 14 anos e com a ajuda do pai, comprou a sua primeira viola de 10 cordas, por 30 escudos, e, na adolescência participava em serenatas na ilha da Boa Vista.

O presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, Cláudio Mendonça explicou que a homenagem se enquadra na programação da edilidade para homenagear figuras e personalidades que se destacaram e deram o seu contributo ao desenvolvimento da Boa Vista.

“Estamos a falar de um grande homem que já deu o seu contributo para a ilha e para este País. Nha Vão que é conhecido pela sua música, pela sua forma de ser e por aquilo que fez para a ilha e o seu reconhecimento tem um sabor especial dado fazer 100 anos é algo extraordinário”, observou o edil, sugerindo que, “perante um mundo conturbado e contexto difícil que se vive, o mundo precisa de pessoas como Nha Vão que emitem paz, serenidade e tranquilidade”.

Em representação da família, a filha de Nha Vão, Luizete Oliveira agradeceu aos amigos, familiares, aos presentes que estiveram na cerimónia e à Câmara Municipal da Boa Vista (CMBV) pela organização da homenagem.

“Obrigada a todos por homenagearem uma pessoa muito especial que, não o digo por ser meu pai, é um ser humano maravilhoso que com espirito iluminado que na sua missão faz o bem ao próximo”, agradeceu Luizete Oliveira, que desejou vida e saúde ao pai que completa um século de vida na segunda-feira, 30 de Outubro.

No final apresentou-se um vídeo sobre a vida de Nha Vão com testemunho de pessoas de varias gerações da Boa Vista que fizeram parte do percurso socioprofissional e musical e conviveram com António Serapião Oliveira que testemunhou aplausos e recebeu os parabéns antecipados dos presentes na cerimónia da sua homenagem.

Hoje, ainda enquadrado no programa de comemoração do centenário de Nha Vão, haverá uma noite de serenata com músicos da ilha em que se prevê concentração em frente ao Centro de Arte e Cultura (CAC) e percurso até a casa do homenageado.

VD/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos