Boa Vista: Associação Onze Estrelas Clube Bafareira desenvolve projecto para a Reserva Natural de Boa Esperança

Sal-Rei, 22 Ago (Inforpress) – A Associação Onze Estrelas Clube Bofareira já tem em curso a primeira fase do projecto “Limpeza, reabilitação e ordenamento da Reserva Natural de Boa Esperança (RNBE), um programa de limpeza e recolha de sólidos e líquidos na reserva.

Estas informações foram avançadas hoje à Inforpress pelo membro da associação Carlos Morais, durante uma visita-guiada à área de reserva natural para averiguar a primeira fase já iniciada do projecto.

O programa, orçado em 2000 contos, visa limpar e recolher os resíduos sólidos e líquidos na reserva natural de Boa Esperança, sitio RASMAR de Ribeira de Água.

“Já foi retirada uma boa quantidade de resíduos, mas as pessoas e empresas continuam ainda a despejar o lixo nestas ruas, quer sólido, quer liquido. Quem conhece o lugar sabe que está com muito lixo, apesar de ser uma zona com muito potencial”, disse Carlos Morais, adiantando que para evitar que se repita esta situação a associação pretende apostar fortemente na sensibilização.

O membro da associação considera “o problema ambiental de resíduos complexo”, reconhecendo que o desafio de limpar a área não tem sido uma tarefa fácil”, tendo em conta que, segundo ele, por “mais que se limpe e se faça campanha de sensibilização há sempre pessoas individuais e empresas a despejar lixo na área da reserva natural”.

Para a segunda fase do projecto, o responsável explicou que o trabalho passa pelo controlo das acácias invasoras e aproveitamento  da biomassa vegetal para fazer lenha e carvão.

“Através desta extracção queremos criar uma empresa social, para ter as pessoas mais vulneráveis e mais carenciadas a produzir carvão e criar desta forma algo sustentável, ao mesmo tempo que se cuide do ambiente”, disse.

Quanto à terceira fase do programa, explicou que consiste em reabilitar e sinalizar as vias da estrada da via pitoresca e sinalizar as estradas.

Já sobre a parte de fiscalização, última fase do plano, será da competência da Câmara Municipal e do Ministério da Agricultura e Ambiente.

Carlos Morais adiantou que a primeira fase do projecto esta num “bom caminho”, almejando melhora-la “se houver maior engajamento dos parceiros que se comprometeram a unir ao clube”.

“Acreditamos que limpar Boa Vista é possível. Havendo vontade é possível tornar a ilha limpa, porque está a precisar”, finalizou.

Este projecto é financiado pela Biotour, pela Delegação de Ministério de Agricultura e Ambiente, e está interligado com outros projectos da Reflor que prevê a remoção e plantação de tamareiras.

A Câmara Municipal da Boa Vista, a Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, a Fundação Tartaruga e a empresa BV Constrói são também parceiras do projecto.

VD/JMV

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos