Associação diz que celebração do Dia Mundial da Conscientização do Autismo deve merecer o apoio de todos

Cidade da Praia, 02 Abr (Inforpress) – A Associação de Pais e Amigos de Crianças e Jovens com Necessidades Especiais (Colmeia) considerou hoje, através de um comunicado, que a celebração do Dia Mundial da Conscientização do Autismo deve merecer o apoio de todos.

A efeméride comemora-se hoje sob o lema “Posso ter uma deficiência mas sou um ser humano, não me rotule”, uma forma de alertar a sociedade e os governantes sobre o transtorno do neuro-desenvolvimento.

A Colmeia promove hoje uma manifestação, para marcar a data, de uma peça azul pendurada nas casas ou riscadas na rede social, demonstrando, com isso, solidariedade para com os Autistas.

A Colmeia continua a apelar para a “inclusão e menos preconceito” para com os indivíduos com o espectro da síndrome.

Por isso, nesta data, a associação tem apelado para uma plena inclusão das crianças, jovens e adultos com deficiência na sociedade cabo-verdiana e estimulando a mudança de conduta e comportamento da sociedade com relação a esse segmento.

“Tendo em conta o longo caminho ainda a percorrer e as lacunas que se constatam e que são o reflexo de uma sociedade pouco atenta às necessidades desse público-alvo, a Colmeia apela a todos a mudarem o seu comportamento perante indivíduos com o espectro da síndrome”, lê-se numa nota de imprensa a que a Inforpress teve acesso.

O autismo é uma síndrome definida por alterações presentes desde idades muito precoces, especificamente antes dos três anos de idade, e que se caracteriza sempre por desvios qualitativos na comunicação, na interacção social e no uso da imaginação.

As causas do autismo são desconhecidas, mas acredita-se que a origem esteja em anormalidades em alguma parte do cérebro, ainda não definida de forma conclusiva e, provavelmente, de origem genética.

Além disso, admite-se que possa ser causado por problemas relacionados a factos ocorridos durante a gestação ou no momento do parto.

Para diagnosticar o autismo, a melhor avaliação é a do quadro clínico realizado pelo médico, pois, não existem testes laboratoriais específicos para detectar a síndrome, pelo que o médico, ao fazer o diagnóstico, baseia-se na classificação internacional de doenças (CID-10) da Organização Mundial de Saúde (OMS) ou no Manual de Diagnóstico e Estatística de Doenças Mentais da Academia Americana de Psiquiatria (DSM-5).

Por isso, para um melhor tratamento o médico utiliza abordagens inclusivas e recursos para auxiliar na comunicação e na interacção, enquanto os cuidados da criança devem ser pensados em conjunto e de maneira interdisciplinar entre estes, educadores, fonoaudiólogos, psicólogos, enfermeiros, profissionais de educação física, entre outros.

Psicoterapia, equoterapia (terapia com cavalos), musicoterapia e outras práticas complementares podem ajudar e devem ser conversadas com os profissionais de saúde e educação da criança.

O dia mundial da Conscientização do Autismo foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 18 de Dezembro de 2007, e tem como objectivo alertar sociedades e governantes sobre transtorno do neuro desenvolvimento que acomete, actualmente, um em cada 59 nascimentos em todo o mundo.

A Colmeia vem cuidado e defendendo o interesse das famílias que possuem um membro com transtornos do espectro autista desde Abril de 2014, altura em que foi criada a associação e, este ano, comemora a efeméride em meio à crise que a sociedade vive para o controle da disseminação do coronavírus.

PC/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos