“As Forças Armadas têm sido uma escola de valores e virtudes que são caras nos dias que correm” – PR

Espargos, 15 Jan (Inforpress) – O Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas de Cabo Verde, José Maria Neves, frisou hoje, no Sal, que as Forças Armadas têm sido uma escola de valores e virtudes que são caros nos dias que correm.

O chefe de Estado cabo-verdiano teceu estas considerações durante o seu discurso da cerimónia do acto central das comemorações do 57º aniversário das Forças Armadas que decorreu na ilha do Sal.

Segundo José Maria Neves, as Forças Armadas servem a República e representam tudo aquilo que a Nação tem de mais nobre.

“As Forças Armadas têm sido uma escola de valores e virtudes que são caras nos dias que correm. Uma instituição de homens e mulheres que, com abnegação e espírito de sacrifício, têm estado sempre presentes nos momentos mais desafiantes da história do nosso país”, afirmou.

“Saibamos, pois, dignificar esses patriotas que servem nas Forças Armadas, que dignificam Cabo Verde e a tornam grande. É preciso que a República reconheça o extraordinário desempenho das Forças Armadas e continue a mobilizar os meios necessários para cumprirem plenamente as suas missões”, acrescentou.

Por outro lado, o chefe de Estado reconheceu a necessidade de acelerar o passo em vários domínios da governança, sendo que no caso das Forças Armadas, “urge acelerar o processo de reforma, adequando-as aos desafios de um Estado oceânico, com enormes possibilidades de crescimento ligadas ao mar”.

Segundo a mesma fonte, um país como Cabo Verde, com escassez de quase tudo, a segurança é um factor de competitividade e um elemento “vital” na credibilidade interna e externa, pelo que anunciou a aquisição de uma aeronave para as missões de fiscalização, bem como as de interesse público, nomeadamente, a evacuação urgente de doentes.

“A operacionalização dos meios navais e a sua distribuição efectiva pelas ilhas, permitirá uma eficiente ligação entres as mesmas, a evacuação rápida de doentes, as missões de busca e salvamento, bem como uma melhor projecção de forças pela extensa água sob a jurisdição nacional, exercendo lá onde se mostrar necessário a autoridade do Estado no mar”, salientou.

O Comandante Supremo das Forças Armadas lembrou ainda dos soldados que perderam a vida no fatídico acidente de Serra Malagueta, no desempenho de uma missão de interesse público, mas, também, pelo falecimento de um recruta, na sequência de uma marcha administrativa, no Centro de Instrução Militar.

José Maria Neves concluiu dizendo que “é preciso que a República reconheça o extraordinário desempenho das Forças Armadas e continue a mobilizar os meios necessários para cumprirem plenamente as suas missões”.

NA/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos