20 de Janeiro: Fundação quer transformar Museu Amílcar Cabral num verdadeiro centro de documentação (c/áudio)

Cidade da Praia, 20 Jan (Inforpress) – O presidente da Fundação Amílcar Cabral, Pedro Pires, avançou hoje que almejam transformar o Museu Amílcar Cabral num verdadeiro centro de documentação sobre a figura deste herói nacional, mas também sobre a luta de libertação.

Em entrevista à Inforpress a propósito do 20 de Janeiro, Dia dos Heróis Nacionais e que relembra a morte de Cabral, Pedro Pires revelou que neste momento estão a trabalhar visando a sua ampliação e modernização para ver se conseguem obter mais meios para a sua concretização.

“Vamos ver se conseguimos meios e colaborações para ampliar o museu, melhorar aquilo que pode oferecer e aqui um dos desafios é a instalação de uma plataforma tecnológica que permita a consulta de toda a documentação, porque também estamos a trabalhar a documentação de Aristides Pereira.

A ideia, concretizou, é fazer deste Museu um verdadeiro centro de documentação sobre a figura de Amílcar Cabral, mas também sobre a luta de libertação.

“Vamos ver como ligá-lo com outros museus ou com outros centros de documentação, seja em África seja nos Estados Unidos, em Portugal, fazer disso o nosso centro de documentação, e entrar na rede dos grandes centros de documentação internacionais”, perspectivou.

Para isso, o comandante Pedro Pires defendeu que a Fundação, sítio que alberga o Museu Amílcar Cabral, na Cidade da Praia, deveria ter acesso a mais meios, defendendo que deveria ter gente mais generosa para apoiar neste sentido, visando melhorar a sua capacidade e a questão da promoção para as visitas.

“Antes da covid-19 recebíamos muitas visitas, depois ficamos com a impressão de uma redução, mas está a recomeçar a procura e estou convencido de que com as actividades comemorativas do centenário de Cabral o movimento vai crescer muito mais”, aventou.

Igualmente o presidente da Fundação Amílcar Cabral pediu mais parcerias para financiamento e instalação de alguns bustos de Amílcar Cabral que possam ser instalados em certos locais na capital e a nível do arquipélago, como forma de relembrar esta figura que considera “excepcional e marcante” na história de Cabo Verde, da África e reconhecida a nível mundial.

Este ano celebra-se os 100 anos do nascimento de Amílcar Cabral a 12 de Setembro, cujas actividades iniciam-se a partir de 20 de Janeiro, Dia Dos Heróis Nacionais, com a já tradicional deposição de coroa de flores no Memorial Amílcar Cabral, na Cidade da Praia, às 09:00.

No mesmo dia destaca-se ainda a realização da Marcha Cabral com concentração às 08:30, da rotunda 1º de Maio da Fazenda, rumo ao acto central que acontece no Memorial presidido pelo Presidente da República, José Maria Neves.

Além de Cabo Verde várias outras iniciativas estão sendo programadas no exterior em comemoração ao centenário, nomeadamente em países da Europa, Estados Unidos da América e demais países da África.

Amílcar Lopes Cabral, fundador do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), morreu depois de uma luta armada iniciada em 1962 contra o colonialismo português e permanece como uma figura central da história de África, em especial a de Cabo Verde e da Guiné-Bissau.

ET/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos